Entenda as principais regras para as cadeirinhas de bebês

Segurança na direção e condução de passageiros é crucial, em especial no transporte de crianças. Por isso no Brasil a regra do Detran é de cadeirinha para bebês e crianças ser obrigatória no transporte. Para andar de carro com segurança é necessária a regra. Andar de moto com bebês de braço é proibido. Saiba mais!

Idade para usar a cadeirinha de bebê

Bebês de 1 dia a um ano devem andar obrigatoriamente com cadeirinha de bebê. É tão importante quanto pagar o IPVA SP 2018 e pode multar os pais ou condutores responsáveis na direção. 

A condução do passageiro mirim deve ser sempre no banco traseiro com poltrona presa no cinto de segurança. O sinto da cadeira é em formato da letra X para prender todo o corpo do bebê e evitar em um impacto ele se desloque para a frente.

Até os três anos de idade(depende também do tamanho da criança e sua altura) a cadeirinha é de uso obrigatório e o cinto se ajusta ao tamanho da criança. A partir de então ela já é alta e a cadeira é um pouco apertada e deve-se passar para o acento elevatório. 

O acento elevatório é uma pequena poltrona para ajustar o corpo da criança ao cinto de segurança normal. Até os setes anos é de uso obrigatório (ou um pouco mais dependendo do tamanho da criança). Ela eleva o corpo e deixa a criança segura para impactos frontais, mas sempre para ser usado no banco de trás. 

Tipos de cadeirinha de bebê

Existem alguns modelos diferentes no mercado. Nos primeiros dias de vida até um ano o modelo mais conhecido é o bebê conforto. Atende a bebês de até 13 quilos e deve ficar de costas para a poltrona do motorista ou passageiro. 

Já a poltrona reversível fica de frente para o motorista e é um pouco mais larga. Cabem crianças de 0 a 25 quilos com ajustes nas laterais e no cinto. É bacana o investimento pensando no transporte por mais um tempo sem a troca. 

O acento elevatório seria o último estágio para a criança. O pequeno banquinho dura até acabar a obrigação de andar com acento. 

Cadeirinha de bebê evita acidente?

A legislação de trânsito não apenas do Brasil mas de diversos países adotou o sistema da cadeirinha. Mas ela é de fato eficiente? O primeiro ponto a ser observado é: desde que foi tornada de uso obrigatório jamais foi contestada.

Em caso de acidente automobilístico ela não garante 100% de proteção ao bebê ou criança. Contudo, ela evita acidentes. Estudos comprovam que a proteção é em mais de 70% dos casos o bebê será protegido pelo acessório se ele estiver seguindo as normas de segurança e bem firme. O estudo mais recente foi realizado pela ONG Criança Segura em 2016 e ainda comprova a eficiência.

Não usar a cadeirinha na condução de crianças é considerada uma imprudência dos pais e gera multa por infração grave. Em caso de morte é considerado homicídio culposo porque não teve intensão de matar mas por imprudência aconteceu a morte da criança. O mesmo vale para pais ou responsáveis sem usar o acento elevatório. 

FONTE

 

 

4 Benefícios do óleo de coco para ficar ainda mais bela

Há muito presente no mercado, o óleo de coco foi redescoberto como um forte auxiliar da beleza. A mídia propagou nos últimos meses exaustivamente o quanto pode ser enriquecedor para a saúde acrescentar óleo de coco na dieta, mas para a beleza há muito mais benefícios. Confira!

Benefícios do óleo de coco para o cabelo

Rico em ácidos graxos ele é ótimo para a digestão quando acrescentado na dieta, por isso o enorme sucesso do óleo de coco na culinária. Mas você sabe o que ele pode fazer pelo seu cabelo?

Como hidratação os especialistas concordam em um ponto importante: a riqueza de vitamina E do substrato natural é ótima para os fios. Deixa os cabelos mais fortes, saudáveis, com mais brilho e maciez. Isso vale tanto para os cabelos lisos como cacheados e crespos. Os fios ficam muito mais fortes com o uso gradativo.

A dica é tanto acrescentar na dieta como investir em uma colher de chá na hidratação. Contudo, ao hidratar diretamente o cabelo com óleo de côco é preciso lavar bem para remover o excesso ou pode gerar caspa e outros problemas com muita oleosidade. Atenção especial para evitar usar mais óleo no pós lavagem. Não é necessário.

Benefícios do óleo de coco para a pele

Queremos citar apenas dois, mas são muitos os benefícios do óleo de coco para a beleza da pele. Os especialistas afirmam ser uma ótima escolha qualquer produto com base na substância ou criar uma misturinha em casa porque ela ajuda a proteger mais a pele. Vale tanto para ações do sol como poluição do ambiente, em especial nas fumantes.

Outro benefício citado entre os dermatologistas está em tratar de forma natural manchas e a pele seca. Vale fazer um creme caseiro em casa (manteiga corporal é uma opção) e aplicar ao menos uma vez por dia. Ajudar a aliviar o aspecto de pele seca, remover manchas da pele estimulando a produção de novas células e ainda protege de ação externa.

Online você encontra muitas receitas de como criar creme para a pele com óleo de coco. Mas muita atenção para não abusar das dicas. Não é preciso usar todos os dias porque uma pele muito oleosa também é problema. Estimula o surgimento de cravos e espinhas e deixa um aspecto de suja. 

Benefícios do óleo de coco para as unha

Para os planos de Unhas 2018 pense em acrescentar o óleo de coco na sua dieta ou em alguns produtos. O item é vendido em lojas de produtos naturais por preços variáveis entre R$ 20 e R$ 40 o frasco com 100 ml. Somando os benefícios vale a pena o investimento.

Você sabia que não há melhor óleo para amolecer cutículas do que ele? Enquanto trata a unha, protege ainda ajuda a deixar o aspecto dos dedos muito melhores. Basta aplicar um pouco do óleo em um pedaço de algodão e esfregar as cutículas de leve, deixar agindo por alguns segundos, remover o excesso e usar o alicate. 

 

Qual o melhor órgão público para mulheres trabalhar?

A carreira como servidor público é considerada estável e com diversos atrativos tanto para homens como para mulher. Mas no caso delas podem haver vantagens em alguns órgãos, pontos diferenciais os quais chamam a atenção e devem ser levados em consideração na escolha dos concursos 2018. Qual órgão público é melhor para as mulheres trabalharem? Saiba a seguir. 

As vantagens da carreira pública para mulheres

Existem pontos importantes ao analisar um edital de certame sobre uma carreira para uma mulher que a iniciativa privada não tem. Depende muito do órgão, mas algumas vantagens são comuns em todos. 

Uma delas é o plano de saúde. O valor pode aumentar com o avanço da idade, mas para o servidor não aumenta. Enquanto houver vínculo com o órgão ela não precisa se preocupar com cobertura. Algumas empresas como o Banco do Brasil oferecem um plano completo com internação e benefício de comprar medicamentos de uso constante com desconto. 

A igualdade de salário é um ponto importante. Homens e mulheres ocupando a mesma função ganham o mesmo valor com os mesmos benefícios. Sabemos que o mercado de trabalho nem sempre é tão justo, não é mesmo?

Além da estabilidade no emprego há como vantagem acréscimos no salário de acordo com o tempo de serviço. Em uma empresa privada uma mulher pode passar anos ganhando o mesmo valor recebendo apenas os ajustes de inflação. No meio público os ajustes são constantes com aumento por tempo de serviço. 

Qual o melhor órgão para uma mulher trabalhar?

Pensando em uma carreira pública de longa data e com preparação as mulheres podem estudar um pouco a qual certame se dedicar mais. Uma boa dica são os concursos para tribunais. Não há um melhor porque os salários são muito semelhantes, apenas a diferença entre técnico e analista. 

Trabalhar em tribunais traz algumas vantagens, em especial os federais como o TRF. Os salários são os mais altos e a estabilidade é garantia. O sistema judiciário não será extinto e não há risco da empresa ser privatizada, então as chances do cargo ser extinto é muito pequena. 

Para as mulheres a igualdade de salários ocupando o mesmo cargo em um tribunal é outro ponto importante. O plano de carreira é curto mas estável e com análise de produtividade e resultados. É considerado um dos órgãos mais justos para eles e elas em igualdade de oportunidades.

Órgãos que podem não ser bom para mulheres trabalharem

Existem empresas públicas as quais não são indicadas para as mulheres? Sim. Uma delas é os bancos. A pressão por metas ainda é uma constante e os bancos públicos são considerados os de menor custo benefício. Não é um dos salários mais altos e a rotina de trabalho, mesmo sendo mais curta, é exaustiva mentalmente. 

As prefeituras também não fazem parte da lista dos melhores concursos para elas. Os salários estão entre os mais baixos e os planos de saúde oferecidos (quando são ofertados, pois não é obrigatório) cobrem apenas alguns serviços. 

6 Livros que toda mãe de primeira viagem deveria ler

Após a notícia da gravidez a mamãe de primeira viagem deixa aflorarem diversos tipos de pensamentos. Alguns são positivos e outros assustadores de nutrir. O medo de não dar certo é comum, de fazer algo errado, então a leitura pode ajudar. Há bons livros no mercado especialmente focados em mãe de primeira viagem. Confira dicas a seguir. 

Dicas de livros que toda mãe de primeira viagem deveria ler

Do momento da notícia até o dia do parto há um misto de sentimentos dentro da mãe. Dúvidas podem ser sanadas com o médico, mas cada dia surge uma incerteza ou vontade de aprender mais para ser a melhor mãe do mundo. Para quem gosta de ler há boas sugestões de livros para mães pela primeira vez dando à luz. 

O livro da Maternagem, o livro de Thelma de Oliveira

Best seller por muitas semanas a obra ajuda tanto na gravidez e seus cuidados como nos primeiros dias e meses do ano. Uma ótima leitura para quem acha que cuidados demais fazem bem para o bebê ou uma grávida não pode ter um período de gestação ativo. Pode, inclusive, praticar exercícios.

Quando o corpo consente, por Martins Fontes

Você se sente vivendo um turbilhão de emoções e forças dentro de si durante a gestação? Não está sozinho. Este sentimento é compartilhado por muitas futuras mamães e elas se deixam levar pelo desespero algumas vezes. 

Confira a narração de três forças dentro de uma mãe lutando pela calmaria para chegar ao parto com saúde. Há dicas de movimentos para melhorar as dores, alongamentos e alimentação. 

Parto Ativo, por Janet Balaskas

Existem vários tipos de parto e cada um focado em um tipo de tratamento indicado pelo médico. Mas na maior parte deles a mãe apenas deita e observa a criança ser tirada. Pode ser uma experiência única entende o que acontece com a criança e participar mais da gestação aos moldes antigos. 

Há uma série de exercícios fáceis para serem praticados e deixar a mãe muito mais preparada para o parto. É uma boa dica fazer uso deles pensando em um parto normal. A leitura é para todas as mães, mesmo as que preferem cesária. 

O que esperar quando se está esperando?, por  Arlene Eisenberg, Heidi Murkoff e Sandee Hathaway

Um clássico lançado pela primeira vez na década de 80 e vendido até hoje. O motivo? Porque ser mãe envolve o mesmo processo natural em qualquer época do ano ou entre pais separados ou solteiros. Deixa incertezas nos pais, alguns conflitos são criados e em muitos casos gera até lágrimas entre os que vão segurar um bebê seu pela primeira vez. 

O livro trata de assuntos que as mães querem falar mas não tem coragem. O indicado é ler aos poucos, acompanhando as diversas fases da gravidez de acordo com o que a mamãe sente. 

Como nascem os pais – crônicas de um pai despreparado

Não existe pior ou melhor pai do mundo. Em algum momento ele sente ter um ser feito por você, de sua propriedade e os medos e anseios somem. Parece mágica mas é verdade. Ser pai é maravilhoso e algo único, mas que também envolve muito medo e alguns estão desesperados com a ideia. 

O livro ajuda a tirar dúvidas e solucionar problemas como arrumar o quarto, saber se vai saber educar ou não e afins. A linguagem divertida torna a obra ainda mais agradável. 

A vida do bebê, Dr. Rinaldo de Lamare

As principais dúvidas dos marinheiros de primeira viagem na gestação envolvem os cuidados nos primeiros dias até os dois anos. Como banhar, como trocar de roupa, maus e bons hábitos…está tudo ai resolvido em um livro considerado o manual da mãe e do pai.